Campanha alerta sobre a importância da prevenção, com ênfase no diagnóstico precoce e em hábitos saudáveis

Novembro é o mês de relembrarmos a importância dos cuidados com a saúde masculina e da realização de exames preventivos para o câncer de próstata. O assunto é sério: de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA)[1] esse é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros.

“Neste ano de 2020 estão previstos aproximadamente 65 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil”, alerta o oncologista Dr. André Katz, oncologista da Clínica de Oncologia Médica Clinonco. “Quando a descoberta é precoce as chances de cura são de quase 100%, então é muito tranquilo. Mas este diagnóstico só pode ser feito com a visita ao urologista”, enfatiza.

É preciso estar atento porque muitas vezes a doença não apresenta sintomas em sua fase inicial, por isso a importância do acompanhamento médico. Entre os sintomas estão:

No entanto estes podem ser os sintomas de outras doenças, como hiperplasia benigna da próstata (aumento da próstata, comum em homens acima de 50 anos) ou prostatite (inflamação na região).  Somente o médico poderá lidar com a individualidade do paciente e chegar a um diagnóstico preciso.

O que é câncer de próstata

A próstata é uma glândula presente no organismo masculino localizada na pelve do tamanho de uma noz, abaixo da bexiga e à frente do reto. O câncer é o resultado da multiplicação desordenada das células da próstata. Em alguns casos estas células podem ser multiplicar e se espalhar para outros órgãos, processo que recebe o nome de metástase.

Exames e Tratamento

Os exames comumente realizados para a detecção do câncer de próstata são os de sangue, que checam a dosagem de PSA (antígeno prostático específico) e o exame físico. Um não substitui o outro, são complementares.

Em caso de suspeita outros exames podem ser solicitados pelo médico, como biópsia e ressonância prostática. Uma vez confirmado o diagnóstico inicia-se o tratamento que pode envolver cirurgia, radioterapia, quimioterapia e medicamentos, dependendo de cada caso.

Combatendo o Preconceito

Ainda hoje há preconceito em relação ao exame físico, conhecido como exame de toque, mas que deve ser combatido, como acredita o Dr. Katz. “O exame pode ser constrangedor? Bobagem. O machismo deve ser posto de lado.” Dr. Katz chama a atenção para o fato de os homens serem mais propícios a “arrumarem desculpas” para não visitar o médico.

“Sempre há algum motivo que justifique o fato de não se cuidar. Nesse sentido as mulheres têm sido verdadeiras heroínas: as companheiras muitas vezes são as que pegam os homens pela mão e levam ao urologista. Salvam muitos homens assim. Esse é um ato de amor.”

Cultivar hábitos saudáveis, de acordo com o oncologista, também pode fazer a diferença quando o assunto é prevenção. “Dieta saudável, restrição de alimentos gordurosos, de tabaco, evitar o abuso de álcool, fazer exercícios. Essas práticas podem reduzir o risco de várias doenças, incluindo o câncer.”

Fatores de Risco

E com quantos anos o homem deve começar a fazer os exames?

Em geral a partir dos 50 anos. “Mas homens que têm histórico de câncer de próstata antes dos 50 na família, assim como casos de câncer de mama em homens devem procurar o médico um pouco antes (a partir dos 45 anos); porque existe uma mutação genética chamada BRCA, que pode estar relacionada ao surgimento precoce do câncer, neste caso mais agressivo e perigoso.”, alerta Katz, que finaliza enfatizando a responsabilidade da geração atual em propagar a informação clara, desmistificando assim um eventual preconceito entre os mais velhos.

E deixa um recado: “Vamos marcar este mês como uma época importante para cuidar da saúde. Só depende de nós!”

 

Fonte: Tokyo Marine